Páginas

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Gadú e minha auto-sabotagem

Ok, ela é legal. Ok, a voz dela é bonita, as composições são boas. Ela é irreverente, "nova Cássia Eller" (?), tá.



Mas ser indicada a um Grammy?! Fala sério!

Estamos tão sem bons compositores assim no Brasil?

Tristemente digo: até eu fiquei com esperança agora.

Hunf!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Música (realmente) popular brasileira

Vivendo como uma pessoa comum, do povo (e não a pop star que normalmente sou, hiahiah, mentira!) tenho ouvido muito arrocha e música sertaneja. Meio chato e meio interessante. Penso em como a gente acaba ficando meio alheio às músicas realmente populares que estão rolando pelo país, ocupados que estamos em estudar a música. Que coisa.

Mas então. Isso tudo vocês já sabiam. Mas talvez não conheçam essa grande novidade (pra mim, pelo menos): o arrocha sertanejo!




Esses são a dupla Edu e Maraial, cantando Bandido do Amor, em Recife-PE.
Desculpem a má qualidade da imagem, mas foi o melhor áudio que encontrei. Além do mais, ainda dá pra vocês verem como é que se dança.


domingo, 19 de dezembro de 2010

TÔ DE FÉRIAS!!

Eeeeeeeeeeh!!!

Até fevereiro:

- só canto no chuveiro;
- só toco violão;
- só componho bobagens despretensiosas;
- leio e assisto filmes;
- faço exercício todo dia;
- durmo até as 8h da manhã...


...enfim, sou um ser humano normal. :)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Da ofensa do fim e do elogio do início

Um dia eu fiz um show e alguém que nunca tinha me visto cantar veio me dar os parabéns no final. Alguém relativamente conhecido, que disse:


- Ellen, estou surpreso. Você está uma cantora de verdade; já está pronta!


A pessoa falou em tom animado e amistoso mas...eu me ofendi. Não gostei do comentário. Não sei exatamente explicar porquê, mas ontem, assistindo ao show de Babuca, acho que entendi.
Um professor que muito gosto e respeito me disse, neste fim de semestre:

- Todos que estão aqui [no curso] estão num nível ótimo para começar.

Eu entendi o que ele quis dizer. A música é um mundo enorme. O palco, o mercado de trabalho, a seara musical diária é outra amplidão. Estamos prontos sim. Prontos pra COMEÇAR a viver tudo isso. Eu fiquei feliz dele conseguir ver essa semente em nós, alunos.

Acho que foi isso: é como se aquela "pessoa conhecida" lá de cima visse naquela minha apresentação, tão pequena, tão simples e ainda tão amadora, tudo que eu posso dar. E eu me ofendi com isso. Sei que não estou pronta pra coisa nenhuma. Estou apenas começando. Mas estou orgulhosa e feliz, porque demorei muito pra chegar aqui. Me senti entre os gloriosos quando o professor disse que estou, eu também, pronta pra começar. Que bom! A música é um mundo tão vasto e tão lindo que estar pronto para dar início a essa jornada, puxa vida, já é maravilhoso motivo de orgulho.




Foi o que eu senti ontem no show de Felipe Grimaldi - Babuca: orgulho. Fiquei orgulhosa de ser colega dessa figura. De ter uma aproximação de colega, de pessoa, de ser humano, de coração. Fiquei orgulhosa de entender, ali, assistindo os belos baixos do violão do menino, o que o professor quis dizer. Sim, estamos prontos pra começar. Uau, e que belo começo estamos tendo! Que começo sensível, delicado e musical! Viva!


Saravá, Mestre Aderba foi o nome do show-homenagem que Babuca prestou ao professor Aderbal Duarte, grande violonista baiano, segundo ele mesmo, seguidor da tradição de Baden, e que vem também, por sua vez, fazendo escola. Um violão que cria uma técnica brasileira de tocar, melodioso, percussivo e de harmonia rica. Babuca tocou composições dele e também de Aderbal, além de arranjos do Mestre, com pitadas de introduções e finalizações que ele mesmo, Babuca, criou. Foi lindo, gente! Destaco os arranjos para Triste e Samba Triste, respectivamente de Tom e Baden, e para a composição de Aderbal Flutuando, tão mil vezes tocada pelas jams sessions de Salvador que eu nem sabia que era dele.


Preciso falar das participações especiais, que abrilhantaram muito a noite. Foram muitas, mas eu destacaria o baixo elétrico de Pedro Dias, a flauta de Tito Fukunaga e o sax alto de Joander. Vixe, solos de arrepiar!


Espero que vocês tenham a sorte que Babuca repita esse show ano que vem. Como ele mesmo disse, projeto independente é dose de levar em frente (infeliz rima!).


Hum, estou é muita da chique. Consegui foi uma acessora de imprensa nesse show. Ui! ;)


Beijos!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Elza



Uau, Amadeu gerou mil comentários, hein? É um cara famoso e querido, pelo visto.

Com essa coisa de estar sem internet, as notícias ficam um pouco atrasadas, desculpem.

Nesse mesmo feriado esqueci de contar que fui ver o filme Elza.


E digo logo a vocês: não gostei. Quer dizer, né...tudo nessa vida é questão de expectativa. Eu AMO Elza, sou apaixonada por ela, tenho muita admiração por sua voz e sua história. Entendi que o filme contaria mais sobre sua vida, seu percurso, suas dificuldades. E não foi nada disso. Foi uma série de parcerias e versões de músicas (belíssimas, devo dizer), com pitadinhas da sua história que, ora, eu já sabia todas. Bem superficial, nesse aspecto.

Foi lindo, é verdade, vê-la cantar com Paulinho da Viola, Betânia, vixe, lindo! No dia de Oxum, então, ver essas duas mulheres que tanto admiro, cantando juntas e se elogiando e se admirando, enquanto mulheres, cantoras, brasileiras - foi lindo! A versão de Elza pra Rosa Morena, ave Maria, coisa mais linda que eu já vi em minha vida, a mulher arrasa demais. Mas...realmente fiquei na curiosidade, no gostinho do quero mais, de saber da vida da figura.

Então...se arrisquem.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Nessa cidade todo mundo é de Oxum




O feriado foi muito produtivo musicalmente.

Aqui em Salvador, dia 08 de dezembro é dia de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, então é feriado municipal. No sincretismo religioso baiano, Nossa Senhora da Conceição é também Oxum, mãe das águas, para o candomblé, o que gera uma série de festas, homenagens e oferendas. Oxum é linda, dourada, vaidosa, suave. Ela é alguma coisa minha (segundo os entendidos do candomblé, mas não sei explicar bem o quê) e eu me identifico mesmo com ela.

Ela aparece, inclusive, no filme Besouro.



Eu fui convidada para uma dessas belas festas, pelo grupo RevisÁfrica, lá de Itapuã. Parte das Ganhadeiras também estava lá, e foi um show lindíssimo! Foi o retorno do grupo, que tinha dado uma parada. Com músicas autorais e outras provindas da tradição oral do bairro, eles prestaram homenagem à Mãe Dourada com danças, cânticos e com o bailado típico do Orixá. Vixe, foi muito emocionante a entrada e a dança de Oxum!

A comida, a decoração, tudo estava adequado e lindo: bacalhau com feijão de corda como prato principal, cocadinhas e arroz doce de sobremesa. Foi uma festa familiar, de amigos íntimos, pequena e linda. Que bom ter sido convidada pra ver tudo isso. Quem sabe um dia tenho a honra de cantar com eles!

Fui convidada mesmo foi pra fazer uma participação no show de Amadeu Alves, grande violonista e compositor da cidade, que hoje dirige a Casa da Música, lá de Itapuã também. Ainda não tinha ido no show dele. Ele está acompanhado de outro violão (e bandolim) e percussão (desculpem, não decorei os nomes dos músicos), no Sesi do Rio Vermelho, toda quarta-feira, as 20h.


Nesta quarta, que eu fui, teve várias participações especiais e ilustres, como a de Tina (cantora), Luiz Rocha (gaitista) e PMN - Percussivo Mundo Novo (do Bairro da Paz). Mikael Mutti, o vocalista do PMN, nos apresentou a sua Tereza: uma mistura de guitar hero, computador e percussão, um som fantástico e surpreendente, junto com os tambores dos meninos. Foi lindo e impressionante ver a mistura de tudo isso em composições já conhecidas e tradicionais e também nas composições de Amadeu, que adorei! Infelizmente essa mistura específica vocês não vão mais poder ver, mas Amadeu está lá, dezembro e janeiro já confirmados, toda quarta de noite. Em uma dessas noites estarei também eu. Aviso por aqui.

Beijos!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Post de auto-ajuda


Não se compare com ninguém.
Observe seu próprio crescimento.
Dê o máximo de si; depois divirta-se.
Ao realizar uma tarefa, dedique-se apenas àquela tarefa.
Todo problema existe porque existe uma solução pra ele.
Num momento de aparente fracasso, veja oportunidades para o desabrochar, como as árvores fazem do inverno para a primavera.
Tudo nessa vida é treino.
O burilamento do corpo tem o mesmo objetivo do burilamento do espírito - manifestar sua capacidade infinita.
Não seja arrogante ao ponto de achar que sua situação de agora é o melhor que você pode fazer.
Não acredite na situação aparente.
O medo, por fim, é pura falta de fé.


Estudando para a prova de Percepção.
Deus me ajude.


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Correndo

Correndo de novo. Ainda sem net. O show de ontem foi cancelado, mas o de quarta foi lindo. Estou famosa e nem sei... :)

Esta semana que entra é a última. Graças a Deus e aos céus por isso.

Viva minha mãe Oxum e Nossa Senhora da Conceição. (Ai ai ai...)

Beijos.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Avisos




Passando correndo para dar alguns avisos:

1) Estou sem internet. (Buaaaa!) Então tem sido difícil postar. Queria falar de tantas coisas, das provas, do Rio de Janeiro, do show do Pato Fú...
mas vai ficar tudo pra depois.

2) Que amanhã tem show da Quanta no bar Mumbaba, às 21h, 15 reais, no Rio Vermelho. Fica no largo da Dinha, apenas atravessando a rua, ao lado da famosa (para todo mundo menos pra mim, nunca tinha ouvido falar) Padaria.



3) Que hoje (daqui a pouquinho!) é o show dos cursos de Música Popular, no Irdeb - Federação, apenas um kilinho de alimento pra ver a mim e mil outros artistas maravilhosos. Corre, fecha esse site e vai ver a genteeeeeee!!


4) Pra você que continuou lendo...Estou em 15 desesperados dias de provas. Mas depois disso...aaaaaaaaah, férias!

Beijos com saudade.