Páginas

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Quanta música!




Ah, que prazer e orgulho finalmente postar apresentações da Quanta. Quanta é a banda de rock, pra quem não sabe. Vão lá dar uma olhadinha nos Shows.

Então. A Quanta vai fazer dois ensaios abertos, num estúdio grande e bacana, no Rio Vermelho. Em breve posto o endereço. Vai ser bacana, uma prévia do show, só que bem mais intimista e super interessados em ouvir os pitacos de vocês. Então roqueiros, fãs, sonzeiros, músicos e abelhudos do meu Brasil, vamos aos ensaios abertos da Quanta!! Vai ser muito legal e interessante! Eu amei a idéia!

Depois vai rolar o show mesmo, lá pra meado de abril, numa casa bem bacaninha da Pituba, que também ainda não sei endereço, mas os meninos me prometeram uma festa chiquezinha. Chiqueza e rock juntos?! Hum, essa até eu quero ver! Estarei lá com vocês pra ver essa novidade. E estamos preparando algumas outras atrações pra tocar conosco também. Só gente bacana!

Carnaval vou passar na Paraíba. Passeando, mas...vocês já sabem, aquele passeio-pesquisa, observando a musicalidade local, que espero narrar pra vocês em breve. Quem sabe um pulinho no Recife, quem sabe um pulinho em Olinda...uhu, alto do nordeste aqui vou eu! :P

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Vai e vem

Nem tudo são flores nessa vida de musicista. Mesmo quando as coisas estão andando por um bom caminho. Desisti de algumas coisas, adiei outras; troca de músico; DR com banda...huum...que chato. Mas...tudo faz parte do processo!

A coisa boa é que os shows já estão começando a ser marcados. Graças a Deus! O negócio é fazer barulho!!! A Lex começa a se apresentar em março; a Quanta em abril; e já estou em outro projeto, que começa em maio. Uhuuuuuuuuu, quantas coisas!! É botar a mão na massa e...esperar o carnaval passar.

Beijos.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Arte



Uh! E a "corrida para o sucesso" (risos) continua. Cá estou eu, tendo mil reuniões, com mil pessoas, articulando meu show. Ontem foi a vez do diretor musical, que eu estou MUUUUUUUUITO feliz por ter aceitado meu convite. Aqui em Salvador, realmente era a pessoa que eu gostaria de ter trabalhando comigo. Ele já me deu tantas boas dicas, idéias e exemplos, que estou cheeeeia de dever de casa pra fazer. Que delícia!

Outro dia estava conversando com um amigo sobre a diferença entre ser intérprete e ser artista. Claro que são apenas as minhas observações, não tenho base bibliográfica nem pesquisa científica pra falar do assunto. (risos) Mas, a cada vez que entro no projeto dos outros, estou me colocando como intérprete. Claro, vou dar a minha marca à coisa, mas...me sinto apenas mais um músico na trama geral. O que é ótimo! Fazendo um show MEU, no entanto, com minhas músicas e outras que gosto, com o meu arranjo, com o jeito que quero fazer...isso me parece que seja começar a ser artista. Ufa, ainda tenho um loooooooongo chão pela frente. Mas estou muito feliz de...estar dando esse primeiro passo. Que bom compartilhar isso com vocês!

Quero aproveitar e divulgar uma novidade maravilhosa e saída do forno! Uma grande amiga minha está abrindo uma lojinha de materiais de cinema, arte retrô, música e outras coisas, linda-linda-linda, no Espaço Unibanco (Praça Castro Alves, Salvador). O nome é Cinema e Coisa e Tal e a inauguração oficial é nesse domingo, as 16h. Vão lá dar uma olhadinha!

Beijos!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Renúncia de Mubarak




Poxa, política é um negócio que muito me interessa. Não sei se vocês compreendem o que penso, mas acho que posicionamentos políticos, afetos pessoais, admirações em outras áreas artísticas e mesmo o estado do corpo influenciam na produção musical, nas composições e até, quem sabe, na qualidade técnica das interpretações. Eu acho. Afinal...é um corpo inteiro que vai para o palco, com toda a sua caminhada, suas deficiências, potencialidades e limitações. Por isso coloco aí ao lado pra vocês o que ando vendo, escutando, consumindo...Não é pra fazer nenhuma propaganda (apesar de eu saber que acabo fazendo), mas apenas pra vocês saberem em que ambientação cultural estou.

E nesse momento eu ando acompanhando como todo mundo as revoluções no Egito e demais países muçulmanos. E acabei de assistir no jornal que Mubarak renunciou. Uuuh, fiquei tão empolgada e feliz, vendo toda aquela gente na praça central do Cairo. 14 milhões de pessoas!! É a megalópole paulistana mais o município do Rio de Janeiro de gente, já pensou? Todo mundo festejando a conquista popular.


Sim, pode-se dizer uma conquista popular! Apesar do posicionamento das forças armadas ter sido a cartada decisiva para a mudança de Mubarak, apesar de toda a pressão da comunidade internacional (especialmente na "pessoa" dos EUA), foi uma conquista popular sim, na medida em tudo começou a tomar corpo com a mobilização dos jovens através da internet.

Para além das minhas opiniões pessoais sobre estados democráticos e ditaduras, não posso parar de me estupefar diante do poder da internet; da influência da rede enquanto formadora e disseminadora de opiniões e da total inclusão do mundo digital em nossas vidas. Segundo pesquisas, mais de 60% da população brasileira já acessa pelo menos semanalmente a internet, seja através de computadores domésticos (muito pouca gente ainda, nem 20%), escolas, pontos de inclusão digital mas, principalmente, lan houses. A periferia tem explodido com o fenômeno das lan houses e eu acho isso fantástico! Gera emprego, cultura, inclusão, informação, confusão e agito nos bairros! (risos) Dá pra qualquer jovem ribeirinho lá do Amazonas saber que eu existo e ouvir minhas músicas, imagine pensar que jovens como eu e você começaram um movimento que derrubou um presidente!!! :O

Ok. Quem tiver perto da minha idade vai lembrar do impeachment de Collor. Derrubamos um presidente. Ok. Tantos interesses, tantas pinturas...Mas está aí, o presidente foi derrubado e o movimento entrou pra história. Acho a situação do Egito diferente. Claro, por se tratar de outro país, outra cultura (muito mais fechada), outro momento (o mundo muito mais aberto), mas...tudo começou com a comunicação através da rede e, de forma estranha, faz com que eu, internauta também, me sinta incluída nesse momento histórico.

Preciso - preciso mesmo! - dar uma vaia particular à intromissão dos EUA nas decisões do Egito. Enquanto as ditaduras são convenientes economicamente, eles apóiam e "permitem". Quando não são mais, usam esse discurso falso moralista de que a democracia é a melhor (a única?) opção de governo para qualquer povo. E não me venham falar de boas intenções. Hunf! De boas intenções, vocês já sabem, o inferno está cheio, que dirá o Mundo Muçulmano.

Noto com pesar ainda a grande ausência das mulheres. Abaixo fotos de modelos defendo o direito de escolher o uso ou não do hijab, o polêmico lenço usado pelas muçulmanas.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Pink Floyd e o fim das vacas magras



Ufa, os trabalhos todos voltaram ao pique que estavam: a Quanta encerrando gravações e fechando o repertório do show; a Lex fazendo arranjos finais; e o projeto Ellen Carvalho (risos) começando a rolar aí. Deste, no momento, estou fechando repertório e espaço. Tá ficando bacana, feito com muito carinho e VERDADE. É legal isso de fazer um show SEU. Mostrar sua cara, seu jeito, as coisas que você pensa e acredita. Ninguém idealizou, ninguém te contratou, ninguém sabe o que vai rolar antes de ir assistir. Huum! Gostoso como o quê de fazer!

Também já fechei o técnico de som e a fotografia. Graças a Deus. O técnico era a minha maior preocupação. Juro. Que bom que já fechei com ele e que é um bom técnico. :)

Esses dias tenho ouvido bastante Pink Floyd. Quero ver se consigo um jeito de colocar áudio no blog. Gente, eu só conhecia as músicas com letra do Pink Floyd (por motivos meio óbvios), mas as instrumentais são fantásticas, MUITO incríveis, vocês precisam escutar. Ontem passei o dia com esse aqui:


Muito bom demais. Escutem!