Páginas

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Puxa um milho aí - batendo papo no São João

Coisa esquisita - aqui não pega nenhuma operadora de telefone mas tem internet wireless à vontade. (risos) Contradições deliciosas e estranhas do meu Brasil. Estou em Itagibá passando o São João. Interior da Bahia.

Me faz bem me afastar um pouco do meu cotidiano, me afastar um pouco dos meus amados amigos músicos e estar no meio do "povo". (risos) É interessante saber o que as pessoas ouvem e - sempre - me questionar novamente "de fato o que é música popular?".

Claro que estou aqui ouvindo o que eu chamo de "músicas de festa" - uns forrós, sertanejos, lambadas e baiões esquisitos, outros bonitos, outros vulgares. Enfim, coisa diferente do que costumo ouvir. Mas gosto. Estava discutindo exatamente sobre isso com o diretor musical - é possível ter música dançante com letra mais social? Talvez isso possa ser tópico pra outra listinha, porque eu acredito e sei que SIM. E é MUITO BOM ter esse tipo de "debate" com ele. ;)

Até encontrei um amigo músico aqui, violonista. Quer dizer, encontrei vírgula, né, ele estava tocando e eu dançando o forró dele, dei um tchauzinho. Que bom que meus amigos estão aí cheios de gigs no São João. Também fiquei muito feliz de saber que um músico que eu admiro muito no cenário soteropolitano disse que estava querendo ver um show meu. Ui, que luxo! Nem que faça show particular, nego, mas você vai ver sim! (sorriso)

Agora de manhã (que as pessoas estão mais tranquilas) estão ouvindo MPB. Os DVDs dos "encontros" estão em alta: Ana Carolina e Seu Jorge e o mais novo (que eu nem tinha ouvido ainda) Caetano e Gadú. Gostei da proposta do Multishow: colocar os dois tocando violão, coisa bem intimista. Foi ridículo ver os fãs berrando cada vez que Gadú dizia uma frase, enquanto CAETANO cantava músicas inteiras, mas...tá. Fiquei pensando sobre isso...a "paixão doentia", como eu chamo, que a maioria das pessoas têm por Chico eu posso dizer que tenho por Caetano. Apesar de poder criticar inúmeras posturas, letras e até músicas dele (sempre criticarei tudo, hihihi)...sou fã. Muito fã dele. Me inspira demais sua origem, seu lirismo, seus pensamentos, seus ritmos (todos tão familiares pra mim). Marcela Bellas, gravou um disco que nomeou "Será que o Caetano vai gostar?". Me identifiquei muito com isso, porque acho que, se eu chegar a gravar um disco assim de âmbito nacional e tal, acho que vai ser uma das primeiras perguntas que vou me fazer. (risos)

Bom falar de Caetano em pleno São João...

Vão dançar forró e saiam da internet, ora! (risos) Estou indo tb.

Beijo!

sábado, 18 de junho de 2011

Bandas para dar risada

PROIBIDO PARA MENORES DE 18 ANOS


Vou começar uma tag aqui no blog chamada LISTINHA. Já estava com vontade de fazer isso, mas muito sem tempo. Não sou nenhuma grande referência de música, mas é claro que gosto de ouvir muita coisa diferente. Então, pra mostrar pra vocês um pouco do que eu ouço; pra gerar debate; pra eu mesma me forçar a arranjar tempo pra ouvir mais coisas, enfim, por diversos motivos, estou inaugurando hoje este tópico. :)

Como vai funcionar? Vou colocar uma LISTINHA de 5 referências daquele assunto. Ainda não estou conseguindo botar música no blog, então vai de vídeo do youtube mesmo. A página vai ficar um pouco pesada, mas...que jeito? Hoje começo com o tema BANDAS PARA DAR RISADA. (Huahuahuah!)

Rapaz, é muita banda engraçada nesse mundo. Muita mesmo! Graças a Deus! Eu queria muito ser assim, mas, por mais que eu tente, dificilmente componho coisas engraçadas. Mas AMO! Me inspirei nesse tema depois que a galera, aqui no meu aniversário, puxou uma sequência deliciosa da banda número 1 desse tópico, na minha opinião, que é a:

1. Mamonas Assassinas

Aqui apresento um clássico da "cornitude" nacional, com o Dejair declarando seu amor por sua fogosa esposa. (O áudio tá ruim mas o vídeo vale a pena.)


Em segundo, a clássica das clássicas:

2. Ultraje a Rigor

Zoraide, como toda boa moça, queria casar. Mas Roger achava que isso era só "nehm nhem nhem".



Em terceiro lugar, uma nova banda, lá do Pará, em ascenção brasileira:

3. Mostarda na lagarta

O pobre índio queria ser emo e ouvir rock. Ah, os preconceitos sociais...


Seguindo a sequência com muita baixaria, a brutal rock band:

4. Velhas Virgens

O "criatura" sempre se achou o tal, até que encontrou uma "mocinha" que não estava a fim de dar.


Por último, uma banda de travestis aqui de Salvador, nem sei se existe mais. Eles ficaram por último devido à qualidade musical e à baixastralidade! (risos) O que eu acho que é o objetivo, então, de certo modo, estão em primeiro. Aí vai:

5. Solange tô aberta (vulgo STA)

Depois do título, acho que não preciso explicar mais nada. Dança da Passiva! (Esse vídeo é só uma passagem de som. O melhor áudio e o vídeo menos...hum...agressivo.)




HAUHAUAHUAH!!! Esbaldem-se!

quinta-feira, 2 de junho de 2011


Achei interessante o diretor musical me pedir pra deixar a voz na garganta, pra gente fazer uns testes de interpretação da música, para a gravação. Nem lembrava mais como é que fazia isso...E ele gostou do resultado! (risos) Disse que a minha voz ficava mais bonita assim, pr'aquele tipo de música. Menino...você passa tanto tempo tentando deixar a voz limpa, redonda, macia, e um surpreendente diretor musical quer a sua voz rouca, suja e quase desafinada. Como o mundo da música dá voltas...

Uma coisa que estou realmente com dificuldade é com essa respiração intercostal. Xô explicar um pouco antes: quando a gente vai estudar canto, a gente aprende a utilizar mais músculos para apoiar a respiração, o que nos dá um mundo novo de possibilidades sonoras. A gente usa - de modo mais controlado e consciente - músculos abdominais, diafragmáticos, intercostais. Os músculos intercostais são esses que "seguram" os pulmões, que ficam aqui nas laterais do nosso corpo, nas costelas, digamos assim. 



Consigo utilizá-los muito bem, obrigada, depois de anos de treino e controle. Mas a professora de canto, enquanto eu estava fazendo as aulas, é claro, passou uns exercícios que eu fiquei com dificuldades. Aproveito esse período de trancamento para estudá-los. Eram excercícios para o fortalecimento desses músculos intercostais e consistem, basicamente, em você cantar sem deixar que esses músculos "desçam", digamos assim, após a inspiração. Quer ver, faça aí. Inspire profundamente...sinta suas costelas subirem um pouco (as costelas, não é o peito!). Agora cante com elas aí, sem deixar que elas desçam, só mexendo a barriga. 

...

Difícil? Eu estou achando, vixe! Controle absurdo. Eu consigo por um tempo, mas não o exercício inteiro, que no caso é uma série de ataques respiratórios (ainda mais difícil) com a sílaba "rá". 

RÁ-RÁ-RÁ-RÁ-RÁ, usando a mesma nota. (Quem tiver um instrumento, tenta aí.)

Menino...tá difícil. Parei aqui pra escrever pra vocês e descansar um pouco os músculos, que já to com falta de ar.

Não vão desmaiar, hein! (Quem nunca estudou canto, não faça isso em casa sozinho.)

Ufa, xô continuar.



Rá, rá, rá, rá...