Páginas

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Cantando com os Marujos


Quero contar do Conexão Vivo - sexta-feira - e também do show que fiz ontem em Cachoeira - uma confusão louca que só Jesus! Mas agora não dá pra contar tudo isso, então vou só divulgar meu próximo show, que estou tãaaaaaaao empolgada!!! :D

Vou fazer uma participação especial no show da banda Samba de Marujo, na Praça Quincas Berro D'Água, no Pelourinho, neste domingo, em algum momento a partir das 18h. (risos) A Samba de Marujo é uma banda bem interessante. Eles têm uma história de resgate do samba tradicional, tanto do samba de roda, quanto o do recôncavo, a própria marujada e etc. O cantor - Sílvio - é meu amigo querido e me fez esse convite lindo. Ai, vai ser muito emocionante!!

Vai ser a primeira vez que vamos dividir o palco. E que palco, hein, justo o Pelourinho, que é um lugar tão importante e simbólico pra mim, pra minha música, pra minha história. Ah, quero vocês láaaaaa!!!

O evento começa, na verdade, as 14h. Então quem quiser sambar muito pode ir desde esse horário. Eu é que só canto à noite.

Beijos cheio de samba!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Música boa, novela e escola

Ontem cheguei em casa da apresentação do Grupo Lex numa escola pública aqui de Salvador e liguei a televisão, de bobeira. Além de futebol em todos os canais, passava uma novela no SBT chamada Amor e Revolução.





Era cena de um casal. O rapaz ia lutar pelo exército às vésperas do casamento e a noivinha choramingava que ele ia abandoná-la. Foi meio ridículo ouvir ela dizendo: "Você não vai morrer, vai? Porque eu não saberia o que dizer à minha família se eu não me casasse com você.", mas...enfim...transcendamos.

O que eu fiquei muito interessada e fez eu continuar vendo a novela foi a música. A cena era acompanhada de uma música cantada por Elis Regina. Uma que eu adoro, mas que agora não consigo me lembrar. Eu sei que fez eu permanecer em frente a tv e assim foi ao longo de todo o capítulo. Gente, mas que trilha sonora fantástica! Só Elis Regina, Chico Buarque, bons artistas da nossa MPB. Talvez eles estejam tentando fazer um resgate também da música da época, não sei. Sei que adorei! Claro que nem se compara às mega produções novelísticas da Globo. Os cenários bem mais simples, os bons atores contados nos dedos. Ah, mas a trilha fez eu ter vontade de assistir a novela de novo!

Nós fomos cantar música brasileira na Escola. Fiquei com um pouco de receio, pensei que os estudantes não iam gostar. Foi idéia do diretor da escola, de fazer uma homenagem a eles no dia do estudante. Mas com música brasileira?! Por que não pagode ou arrocha? Bom, enfim, lá fomos nós. E qual não foi a minha surpresa quando vi todo mundo cantando as músicas! Uau!! Formaram belos coros em algumas músicas, me arrepiei de emoção.

- Vocês gostam mesmo de música popular brasileira? - eu perguntei no palco. E eles gritaram em coro:

- Siiiiiiiim! - Uaaau!

- Eu acho que vocês preferiam um pagode, um arrocha, não? - E eles:

- Nãããããão!

Rapaz...tô impressionada! Foi algo inesperado. Mais inesperadas ainda as participações que surgiram na hora: um professor quis tocar...BANDOLIM! E um estudante quis tocar...SANFONA! Gente, que inusitado! Então estou vendo que a boa música tem mais "adeptos" do que eu pensava. Que a gente precisa é disponibilizar mesmo essas oportunidades a todas as pessoas.

Foi lindo! Bem emocionante. (suspiro) E aí vamos nós pras dificuldades...a grana mal bancou a gasolina. Argh! :S

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Adeus da Quanta



Esse sábado é minha última apresentação com a Quanta. Por diferenças de objetivos, decidiu-se que eu vou sair da banda. Sair de um lugar que você gosta é sempre ruim, é claro, mas...no fim tudo é bom e dá certo, né? Estou sentindo o clássico "foi bom enquanto durou". :)

Então CORRAM! Essa é a última chance de me ver cantando rock'n roll em um bom tempo, tá? Esse sábado vamos tocar com Os Pâncreas, que é uma banda bem agitada e animada, engraçadíssima! Eles começam e nós terminamos. As 22h, 10 reais para os marmanjos, totalmente grátis para as gatinhas.

Mas não se preocupem. Ainda continuo cheeeeeeeeeeinha de coisas pra fazer e - sempre - muitas novidades pra contar.

Beijo!